Ainda não usa palheta? Aprenda sobre a importância dela!

BLOG


Ainda não usa palheta? Aprenda sobre a importância dela!

Apesar de pequenas e estruturalmente simples, as palhetas têm uma importância muito grande para a música, que vai muito além da proteção aos dedos. Não é à toa que tantos músicos têm uma palheta preferida, pela qual têm até mesmo apego emocional.

A palheta na História

Não é de hoje que as palhetas são usadas ao fazer música. Um instrumento de corda acompanhado do que parece ser uma palheta foi desenterrado em Katanda, na África, e estima-se que esses objetos tenham mais de 70 mil anos!

Apesar da origem da palheta ter se perdido na História, é garantido que há mais de dois mil anos as palhetas já eram usadas na China, no Egito, e também por árabes, persas e mouros. Ao longo de tanto tempo, palhetas dos mais variados materiais já foram produzidas.

No início do século XIX, por exemplo, a matéria prima mais utilizada era o casco de tartaruga marinha! Também foram largamente testadas as palhetas de pedra, madeira, ossos, marfim, conchas, couro, metais e chifres, e alguns desses continuam sendo muito utilizados.

Entretanto, nos dias atuais, materiais sintéticos mais baratos são os mais usados para a produção de palhetas. Polímeros, baquelita, acetato, acrílico, nylon e fibras plásticas de carbono são alguns deles. Esses materiais também permitem uma grande variedade de cores e formatos, dando identidade aos usuários.

Falando em identidade, muitos são os músicos que têm palhetas impressas que são vendidas ou mesmo presenteadas aos fãs. A primeira palheta personalizada produzida em larga escala surgiu só nos anos 30, e seu formato é hoje considerado padrão, conhecido como Standart ou No. 351.

Essa palheta foi feita em homenagem a Nick Lucas, um músico que ficou conhecido por sua forma diferente de tocar banjo. A diferença estava no formato de sua palheta, que era plana. Hoje em dia elas são as mais comuns, mas naquela época só se utilizavam palhetas de dedo.

Mas as palhetas são importantes para além de sua história. Na verdade, elas só sofreram tantas adaptações e continuaram existindo por tanto tempo porque se mostraram muito eficientes para a música, capazes de produzir efeitos incríveis e facilitar a experiência do músico.

As funções da palheta na música

A palheta é um dos acessórios musicais mais simples e comuns. Por isso, mesmo quem nunca tocou um instrumento provavelmente já viu uma e sabe do que se trata. As palhetas podem ser usadas com diferentes técnicas para produzir diferentes timbres e sons.

– A influência no timbre: O timbre é uma característica do som influenciada diretamente pelas características físicas individuais de um corpo para outro. Quanto maiores as diferenças, maior a diferença no timbre. É por isso que você consegue perceber a diferença entre instrumentos distintos ainda que eles estejam emitindo a mesma nota.

Por isso, o material de fabricação e as dimensões de uma palheta fazem com que o som emitido com ela seja diferente do som emitido com outras. Assim, é indicado fazer testes com diferentes materiais e decidir quais se adequam melhor aos seus objetivos.

– A influência na precisão:

As palhetas oferecem maior precisão para o músico, o que ajuda principalmente quando ele está acompanhando cantores ou outros instrumentistas. A presença das palhetas é muito comum em shows de metal e outros estilos de rock, por exemplo, que demandam alta velocidade.

Essa precisão ocorre tanta pelo formato bem cortado quanto pela espessura das palhetas. Quanto a isso, diferentes maleabilidades têm efeitos diferentes, principalmente ao variar instrumentos. As palhetas de baixo, por exemplo, costumam ser mais espessas para tocar as cordas grossas. Tal espessura não costuma ser necessária para a guitarra.

Como você pode ver, a palheta pode influenciar muito na sua performance final! Os cursos da Melody Maker são ideais para melhorar suas habilidades musicais e te ajudar no uso adequado da palheta, para que você atinja seus objetivos e cresça como músico!